segunda-feira, 11 de maio de 2009

Da Viagem

Correu tudo muito bem sem grandes imprevistos. Como sempre, não tínhamos conhecimento da duração do vôo mas desta vez fomos surpreendidos pela positiva. Foram só duas horitas e meia até ao aeroporto de Tunis que passaram sem darmos por isso. Mais chato foi o transfer até ao hotel que ficava a 130 Km do aeroporto.
Os dias, passados essencialmente no hotel, decorreram com a calma e tranquilidade que procurávamos. Nunca tínhamos feito umas férias de resort, normalmente procuramos cidade. Mas desta vez a ideia era mesmo passar o dia de papo para o ar e aproveitar o tudo incluído.
Acordávamos cedo porque o despertador (entenda-se, Henrique) continuava a tocar à mesma hora e depois de um bom pequeno almoço assentávamos arraiais na praia. A piscina deixávamos para o fim do dia, quando na praia já estava vento porque, primeiro, gostamos mais de praia, segundo, na praia o Henrique distraía-se com a areia e na piscina só queria saltar para dentro de água. Continua a ser maluco pela água. Gatinhava excitadíssimo para as ondas quando via alguém dirigir-se para lá e começava com uns guinchinhos histéricos quando a água lhe tocava. É delicioso ver a sua relação com a água!
Procurávamos dar-lhe o almoço por volta das 12:00 e depois disso ele normalmente dormia uma boa sesta (depois de um bom banho de mar e com a barriga cheia, não se pode querer outra coisa). Nós na maior parte dos dias também petiscávamos qualquer coisa no bar da praia, enquanto ele dormia. Acordava sempre pronto para a brincadeira e cansava-se o suficiente para nos presentear com uma segunda sesta antes do jantar, que nos permitia descansar também um pouco. Depois do jantar ficávamos pelos bares do hotel a jogar às cartas ou simplesmente a beber uns panachés. Ele ainda se aguentava imenso tempo acordado, de um lado para o outro, a meter-se com toda a gente e ainda bem que continua a dar só a sua meia dúzia de passos de cada vez, caso contrário, ninguém conseguia estar descansado. Acabava por adormecer de cansado, no carrinho, onde nós estivéssemos e chegava ao quarto já a dormir.
As noites foram boas, acordava pouco, o que nos permitiu descansar bastante. Quanto às refeições, levei tudo comigo (entre boiões da Bledina e da Nestlé, levava refeições para todas as ocasiões) mas acabei por lhe dar várias vezes a sopa do restaurante do hotel que não tinha sal nenhum e misturava-lhe um pouco de ovo, ou de carne.
Num dos dias, alugámos um carro e fomos a Tunis, à medina. Acho que nunca o meu filho levou tantos beijos. Deve ser alguma tradição. Meninas e meninos, senhoras e senhores aproximavam-se dele diziam alguma coisa que eu não entendia e toma lá um beijinho. Ele agradecia com um sorriso dengoso, que lhe é muito característico.
Enfim, soube bem estar de férias e estar com ele num ambiente relaxado. A verdade é que no dia a dia não nos conseguimos aproveitar tão bem, não conseguimos observar tão bem as suas conquistas e as suas gracinhas. Namorámos muito a três, a dois e disfrutámos muito uns dos outros. Mas a verdade é que quando a semana acabou já estava com vontade de voltar para casa e aí percebi que as férias cumpriram bem o seu objectivo de descanso. Venham as próximas!

4 comentários:

Maria disse...

Que bom que gostaram amiga! Férias que dêm para descansar é do melhor quando se tem filhos!! LOL

Fico contente que tenha corrido tudo bem!

As fotos estão muito giras!!

Bjs

Sara disse...

Já estávamos com saudades, ainda bem que as vossas férias correram bem e que conseguiram descansar mesmo com o Henrique :).

Borboleta disse...

Olá!
A Tunísia é tão rica sobre o ponto de vista das experiências, que é uma pena não terem experimentado o que há de melhor!!! Mas o descanso sabe sempre bem e o mais importante é estarem em família! Para a próxima veivem as mil e uma noites!
Beijinhos

Mónica Ávila disse...

As férias são uma lufada de ar fresco para os tempos que se seguem.
Na vida todos os dias têm de ser vividos com intensidade e com os filhos, a atenção que lhes damos, não deixa que se aproveitem todos os momentos.
Um beijinho muito grande.